Visitas

sábado, 29 de outubro de 2011

- o que os meus olhos dizem


Garotas Dizem | Lorenna Guerra

não sei como, não sei explicar porque, não sei o motivo, qual a razão só sei que é diferente, quanto a mim e quanto a ti, para mim, escrever sobre o que se passa neste momento iria-me ser percetivel mais tarde a ler, mas quanto aos de fora, talvez nem tanto, começando desde o inicio, um inicio não de principio, mas sim de começo de ver algo diferente.
foi a mais ou menos um ano e uns determinados meses, não a conhecia, não sabia quem era apesar de viver num determinado sitio com esta determinada pessoa desde o primeiro dia de vida, apenas a um ano e uns meses, comecei a saber quem era realmente, a saber a quem dirigia o meu bom dia, o meu olá, o meu obrigado, não sabia quem era, apenas sabia um nome, reconhecia a imagem, e não me era despercebido aquele rosto, mas agora mesmo não sabendo tudo, mesmo não reconhecendo tudo, sei o mais importante num meio desconhecido, sei então quem é, o que foi, e principalmente o que passou, é um alguém que me inspira que me dá de certa forma uma força de olhar, que de nenhuma forma me sai despercebido, é um alguém diferente, um alguém invulgar, um alguém muito, muito, muito grande, que nunca perdeu nada, que nunca desistiu de nada, um alguém que tem uma raiz forte, e forte, um alguém com uma força inesquecível, tudo isto e muito mais, é um alguém que tem duas versões de entendimento, ou pelo lado negativo e de rejeição ou por outro, de imensa compreensão, e de imensa vontade de o adquirir a nos como um amuleto, e é assim que a vejo, é um alguém que admiro! tinha todas as razoes para desistir mas nunca o fez, foram longos os anos, são e serão sempre, mas nunca com a adquirição do verbo " desistir " no seu ser! foi então que questionaram que os olhos não diziam nada, que era apenas uma forma simpática de dizer que " compreendia os olhos" mas este ser fez discordar completamente essa afirmação, essa questão digamos assim, olhou-me a mim nos  olhos, e sem palavras, sem sentimentos expressados, sem alguma coisa dita, ou em ambas vivida, leu-me os olhos, disse coisas completamente verdade, e mesmo que a mim me viessem duvidas tudo dito por este alguém é-me completamente, impossível de discordar, porque mais tarde é sempre vindo a comprovar as afirmações, sim é possível, sim é verdade, porque foi comigo e com qualquer outro, descreveu-me sem saber nada sobre mim, olhou-me e apenas olhando disse de coisas que a mim me metiam duvidas, mas mesmo assim em certa parte é tudo mais que verdade, quero ver no que dá, porque dito por ti só me faz ainda mais duvidas, se tu conseguiste ver, e se disseste tudo aquilo de mim sem sequer ouvires uma palavra sobre mim e de mim, como conseguis-te tu saber tudo aquilo? dizer algo que mais ninguém sabia e até eu tinha duvidas que fosse verdade, nem eu própria sabia, mas vendo sim tinha de haver uma razão eu é que a escondia.
os meus olhos dizem aquilo e muito mais, os meus olhos neste momento mostram incertezas, e falta de algo, algo que me fazia faz e fará sempre feliz desde que esteja comigo, tenho orgulho em ti como não tenho em mais ninguém, e dirijo-me a ti como nunca me dirigi a ninguém, pois nunca tinha visto alguém assim, algo que soube-se tanto de mim, sem sequer me conhecer, sem sequer saber nada.

4 comentários:

S ☮ disse...

Muito obrigada querida (:
Também te sigo *

Maria Inês disse...

Obrigada minha linda, gosto imenso do post :D

(in)felicidade disse...

obrigada :)

DÉBORA disse...

obrigada querida, sigo também*